Web Rádio Foguinho Eventos Zap (74)99954-6957

13 de nov. de 2011

Seleção de Mairi vence seleção de Pintadas


A seleção de Mairi venceu a seleção de Pintadas pelo placar de 3 a 1 neste domingo, dia 13 de novembro. O jogo foi realizado no Estádio Municipal, na cidade de Mairi, valendo pela terceira rodada da primeira fase da Copa da Jacuipe sub-17. Léo abriu o placar aos 24 minutos do primeiro tempo para a seleção de Mairi. No segundo tempo, Pires ampliou aos 09 minutos, Anderson diminuiu aos 16 minutos para a seleção de Pintadas e Tonho fez o terceiro gol da Seleção Mairiense aos 29 minutos. Com esse resultado, a Seleção Mairiense somou 6 pontos na competição e continua na segunda colocação do grupo A.
Pela 4ª rodada, a seleção de Mairi volta a jogar nesta terça-feira, dia 15 de novembro, contra a seleção de Pintadas, em razão do feriado da Proclamação da República, valendo pelos jogos de volta da primeira rodada da primeira fase da competição. O jogo será realizado no Estádio Municipal da cidade de Pintadas.

No outro jogo do grupo, a seleção de Várzea da Roça jogou em casa e venceu a seleção de Capela do Alto Alegre pelo placar de 1 a 0, e dispara na liderança com 09 pontos na competição.
A seleção de Mairi jogou com: Rafa (Demerson); Pablo, Robson, Robinho (Igo) e Eduardo; Tonho, Kaio, Zé Neto (Marcones) e Leo (Bruno); Murilo (Lucas) e Pires. Técnico: Washington.
Pintadas perdeu com: Bruno; Wallison, Alex (André), Gedson e Jó (Romário); Felipe, Anderson, Edmário e Marcones (Marcones Pereira); Galego e Emerson (Eneias). Técnico: Marinor.
Árbitro Central: Esau Santos da Silva, da cidade de Capela.
Assistentes: Alexandro Pereira Pereira Lopes e Jailton Pereira Lopes, ambos da cidade de Capela.
Arbitro Reserva: Walbert Reis Araújo, da cidade de Mairi.
Redação: Agmar Rios
Fotos: Tchuca Rios
fonte:www.agmarrios.com

CARNATAL VÁRZEA DA ROÇA 2011


Fonte: www.foguinhoeventos.com

Serviço de acostamento está sendo realizado na BR – 324, trecho Capim Grosso


Quem se utiliza do trecho que liga Capim Grosso ao Paraíso, sabe muito bem dos problemas da pista que precisa passar por um recapeamento assim como pelo concerto do acostamento em toda a sua extensão. A situação da falta de acostamento no citado percurso da BR – 324 é grave a ponto de provocar acidentes nos últimos meses envolvendo principalmente caminhões. Diante das cobranças que estão sendo feitas pela imprensa regional, observamos que um trabalho visando resolver o problema da falta de acostamento vem sendo realizado. O trecho beneficiado com o serviço envolve o bairro Água Nova ao Lixão.
Todos esperam que todo o trecho citado venha passar por melhorias e que em breve o Governo do Estado através do DERBA, com sede em Jacobina, possa estar anunciando enfim o trabalho de reconstrução da pista, oferecendo para quem trafega pela via melhores condições uso, justificando assim os impostos que são pagos ano a ano por cada proprietário de veículo que se utiliza da BR – 324.

Texto e Foto: Arnaldo Silva.

O SAC Móvel está na cidade de Mairi


O SAC Móvel atende em Mairi nos dias 12, 13 e 14 de novembro
O Caminhão do SAC Móvel já percorreu vários municípios do estado da Bahia e chegou na cidade de Mairi na tarde desta sexta-feira, dia 11 de novembro. 
O Caminhão do SAC Móvel está estacionado na Praça J.J. Seabra, em frente a Prefeitura Municipal, onde começou o atendimento na manhã do último sábado, dia 12, atende neste domingo (13) e segunda-feira (14). O atendimento é realizado das 8h às 18h, sem limitação de atendimento, com exceção da carteira de identidade, cuja oferta é de 250 senhas diárias.
O SAC Móvel oferece, durante dois ou três dias no município visitado, os serviços:
- Emissão de Certidão de Nascimento;
- Emissão de Carteira de Identidade;
- Cadastro de Pessoa física;
- Recadastramento de Pensionistas do Estado;
- Emissão de Antecedentes Criminais e 
- Registro de críticas, denúncias, elogios, orientações, reclamações, solicitações, e sugestões públicas prestados pelo Governo do Estado.

Depois de Mairi, o caminhão do SAC visitará os municípios de São José do Jacuípe, Capim Grosso, Saúde, Filadélfia e Caém. 

Confira as cidades e as datas:
Mairi- 12 a 14
São José do Jacuípe - 16 a 17
Capim Grosso - 19 a 21
Saúde - 23 a 25
Filadélfia - 27 a 28
Caém - 30 a 01
Redação e foto: Agmar Rios
Fonte: www.agmarrios.com.br

Mairi - 1ª Oficina de Meliponicultura do Território de Identidade da Bacia do Jacuípe


A 1ª Oficina de Meliponicultura do Território de Identidade da Bacia do Jacuípe foi realizada no último sábado, dia 12 de novembro, no Auditório da Casa do Agricultor, na cidade de Mairi.
O evento foi realizado pela AAMAN - Associação dos Apicultores Meliponicultores e Ambientalistas de Mairi. Esteve presente no evento, Alex Fábio Lima de Melo, técnico em agropecuária, apicultor, meliponicultor e diretor de meliponicultura da FEBAMEL - Federação Baiana de Apicultura e Meliponicultura, da Diocese de Ruy Barbosa.
Alex Fábio 
Pela Manhã foi desenvolvido um trabalho de embasamento teórico inicial para futuros criadores de Abelhas Nativas Sem Ferrão, com uma proposta de se trabalhar inicialmente com o fundamento e princípios teóricos da criação.

Petrucio Pinto Bandeira, presidente da AAMAM - Associação dos Apicultores Meliponicultores e Ambientalistas de Mairi, disse que é muito importante estar realizando esta oficina pela preservação e pela importância desses insetos polarizadores no meio ambiente. "A gente vê pessoas diariamente agredindo o meio ambiente, e a gente da associação forma um grupo de pessoas, com ambialistas e meliponicultores, que se preocupa com o meio ambiente e que se preocupa com as Abelhas Nativas", disse Petrucio.
Petrucio ainda comentou, que esta oficina é muito importante para a comunidade conhecer essas abelhas e também é uma fonte de geração de renda para os agricultores.

O trabalho com estas abelhas foi inserido na matriz do projeto apicultura - DISOP/Diocese de Ruy Barbosa, por conta de sua importância no que diz respeito à manutenção da biodiversidade. Elas são responsáveis pela polinização e conseqüentemente a perpetuação da maioria das espécies vegetais nativas. E este trabalho, aliado a produção e distribuição de mudas nativas permite resistir e se contrapor a modelos de produção pautados no lucro e na degradação dos recursos naturais.
O projeto tem como obstáculo o ritmo acelerado do desmatamento e das queimadas na região, o que pode extinguir espécies ainda não identificadas/estudadas. Além disso, existe o desafio de levar à popularização das técnicas de manejo para promover a recuperação das espécies, implementar e soberania e a segurança alimentar e gerar renda. 




Clique aqui e veja aos vídeos
Fonte: www.agmarrios.com.br

Visita Online