1 de abr de 2017

Perigo! Gado na pista, entre Mairi e Várzea da Roça

No início da tarde deste sábado, 1º de abril de 2017, gado foi flagrado no trecho da BA-130, entre Mairi e Várzea da Roça, na Bahia.

Os animais estavam atravessando a pista nas proximidades do Posto Planalto, oferecendo perigo para os ocupantes de veículos. 

O problema continua, com vários animais soltos, pastando livremente às margens da rodovia e atravessando a pista de um lado para o outro. 

Infelizmente, quem trafega de caminhão, carro ou moto, no referido trecho, corre perigo, principalmente durante a noite.
  
Fonte:Agmar Rios

Chuva faz riachos voltar a correr e enche açude em Capela do Alto Alegre


O município de Capela do Alto Alegre, foi um dos que mais choveu na região, neste sábado primeiro de abril.
Segundo relatos de populares que informaram ao VR14 o riacho que cruza a estrada que liga o povoado de Ipiraí a sede do município, e o que passa na estrada entre Capela  e o povoado de aroeira   município de Mairi, ficaram cheios durante a chuva.
 A chuva também armazenou um grande volume de água em um açude na fazenda Porco Preto, na comunidade Lagoa dos Lírios.
Da redação do VR14
Jorge Henrique

Chuva forte causa tromba d'água e deixa desabrigados em Lajedinho

Lajedinho após chuva neste sábado (1º)

Uma chuva forte que atingiu a cidade baiana de Lajedinho, na Chapada Diamantina, na madrugada deste sábado, 1º de abril de 2017, causou uma tromba d'água no rio Saracura, que invadiu a cidade e deixou casas e ruas alagadas. 

De acordo com o coordenador da Defesa Civil do município, Edmundo Carvalho, a situação deixou, ao menos, 94 famílias desabrigadas. Não há registro de mortes ou feridos.

"Foi uma tromba d'água igual a 2013. É a sétima vez que isso acontece. As duas vezes mais graves foram em 2013 e agora", disse o coordenador da Defesa Civil.

Ainda conforme Carvalho, a chuva que atingiu Lajedinho neste sábado foi muito semelhante a que destruiu a cidade em dezembro de 2013, quando 17 pessoas morreram e 600 ficaram desabrigadas. Na ocasião, casas e estruturas de prédios públicos foram levadas pela enxurrada.

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), na madrugada deste sábado choveu 150 milímetros em Lajedinho. O volume e a força da água assustaram os moradores durante cerca de três horas. No dia da tragédia, em 2013, choveu 120 milímetros na cidade.

Conforme Edmundo Carvalho, algumas casas tiveram rachaduras e muitas famílias perderam bens materiais, como móveis e eletrodomésticos. Alguns estabelecimentos comerciais também tiveram prejuízos. Em um mercadinho, produtos foram levados pela chuva e ficaram espalhados. A água chegou a alcançar 1.5 m em algumas residências. Na manhã deste sábado havia muita lama pelas ruas. Foi preciso um trator para limpar o local.

Segundo o superintendente de Proteção e Defesa Civil da Bahia, Paulo Luz, a prefeitura vai  decretar estado de emergência por inundação e pedir homologação do governo do estado. Não houve mais registro de chuva em Lajedinho até as 16h30 deste sábado. No entanto, ainda há previsão de tempo fechado e possibilidade de chuva na cidade nesta noite e também no domingo (2).

Seca

Lajedinho teve o estado de emergência, por conta da seca, reconhecido pelo Ministério da Integração no dia 2 de fevereiro. O decreto vale até o dia 10 de julho. Conforme o coordenador da Defesa Civil da cidade, embora o volume de chuva tenha sido muito alto no município neste sábado, não choveu na zona rural do município, que vem sendo castigada pela estiagem. A chuva se concentrou na área urbana de Lajedinho.

Tragédia em 2013

Um temporal causou destruição e mortes, na noite de 7 de dezemebro de 2013, no município de Lajedinho. De acordo com a Defesa Civil, choveu na cidade, em 2 horas, cerca de 120 mm. Aproximadamente cerca de 90% do comércio de Lajedinho foi destruído.

O imóvel da Prefeitura de Lajedinho também foi atingido pela enxurrada, diversos equipamentos e documentos foram destruídos. A sede da Assistência Social também foi afetada. Das 17 pessoas mortas na tragédia, 8 eram da mesma família.
Cidade ficou destruída após chuva em 2013

Fonte: G1 Bahia

Chuva chega trazendo alegria em Poço do Quilombo município de Várzea da Roça

Na tarde deste sábado, 1º de abril de 2017, por volta das 15h30min começou a chover no povoado de Poço do Quilombo, município de Várzea da Roça. 

Um bom volume de água correu nos riachos, trazendo alegria para os agricultores e criadores de animais que vêm sofrendo com a estiagem.

De acordo com informações, em São José do Jacuípe e Capim Grosso, choveu forte. Na sede de Várzea da Roça e na cidade de Mairi, a chuva é fraca.

De acordo com o site Tempo Agora, nos municípios de Várzea da Roça e Mairi, a previsão deste sábado é de tempo fechado e chuvoso, com possíveis trovoadas. No domingo, também poderá chover.
Informações Agmar Rios e Foguinho Eventos
Da Redação  e Fotos:  Foguinho  Eventos 






Professores e alunos do CEAM realizam protesto contra a reforma da Previdência

Na tarde desta sexta-feira, 31 de março de 2017, aconteceu um protesto contra a reforma da Previdência, na cidade de Mairi-BA.

Professores do Colégio Estadual Abelardo Moreira (CEAM), com a participação dos alunos, saíram pelas ruas da cidade com cartazes.

Depois, os manifestantes seguíram para a Praça J. J. Seabra. O prefeito Jobope saiu da prefeitura e falou para os professores e alunos que ele é contra a reforma da Previdência e apoia o movimento.

Da redação do Blog Agmar Rios
Fotos: Foguinho Eventos e Cássio
Vídeo: Foguinho Eventos

Tabela do Campeonato Brasileiro Serie A 2017.


Carregando...

Campeonato Brasileiro

Loading...

Visita Online